Evangelhos Sinóticos - Comentário à luz das ciências sociais

Vivemos num mundo que os escritores antigos não tinham como destinatário. As mudanças que resultaram da revolução industrial geraram alterações na percepção do mundo e um impacto fundamental em nossa capacidade de ler e compreender a vida.

Os significados apreendidos na leitura de documentos escritos inevitavelmente derivam de um sistema social. Ler é sempre um ato social. O Novo Testamento foi escrito naquilo que os antropólogos chamavam de uma sociedade de “alto contexto”. As pessoas que se comunicam nesse tipo de sociedade requerem um conhecimento largamente partilhado, bem compreendido do contexto de qualquer coisa a que se refiram em conversas ou por escrito. A Bíblia, como a maioria dos documentos escritos no mundo de alto contexto mediterrâneo, pressupõe que os leitores tenham um amplo e adequado conhecimento de seu contexto social.

No entanto, como os leitores contemporâneos da Bíblia podem participar desse contexto social se, em sua grande maioria, foram socializados e modelados pela experiência de viver em países ocidentais do século XX, e não na Palestina do século I?

O objetivo deste trabalho é exatamente transpor o texto do continente de cultura mediterrâneo no qual foi escrito para o novo contexto nas sociedades ocidentais, industrializadas, onde agora é lido. O resultado será outra recontextualização. Essa modernização do texto é profundamente social no caráter, e é improvável que leitores socializados no mundo industrial completem o texto do Novo Testamento segundo as formas que os autores antigos poderiam ter imaginado, mas podem ser auxiliados na compreensão do que os autores bíblicos disseram e pretenderam dizer a seus contemporâneos.

ONDE COMPRAR


Paulus
Bruce J. Malina; Richard L. Rohrbaugh
9788534946377
16 x 23
504
2018