Imprimir

Mensagens de Páscoa: Páscoa... Não temei a morte, pois sois livres!

Publicado em Notícias

Páscoa Não temei a morte pois sois livres

 

Páscoa... Não temei a morte, pois sois livres!

Pe. Telmo José Amaral de Figueiredo

Não tenho medo de morrer. Eu sou um homem livre.”[1]

Vivemos uma “vida nova”[2] porque Cristo ressuscitou.

“Pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos,

Ele nos fez nascer de novo para uma esperança viva.”[3]

Nosso “velho homem”[4] foi crucificado com Ele.

“Morremos com Cristo, viveremos com Ele.”[5]

“Se já morremos com Ele, também com Ele viveremos;

se resistimos com ele, também com Ele reinaremos;

se o negarmos, Ele também nos negará;

se lhe somos infiéis, Ele, no entanto, permanece fiel,

pois não pode negar-se a si mesmo.”[6]

Não “servimos mais ao Pecado”[7], mas ao Amor.

Nosso destino é buscar “as coisas do alto”[8], aquilo que conta!

Não somos mais servos, mas herdeiros!

Somos herdeiros porque “somos filhos de Deus”.[9]

Sofremos com Cristo, nosso irmão, para “sermos glorificados com Ele.”[10]

 “Se é só para esta vida que pusemos a nossa esperança em Cristo,

somos, dentre todos os homens, os mais dignos de compaixão”.[11]

“Eu sou a Ressurreição e a Vida.

Quem crê em mim, ainda que tenha morrido, viverá.”[12]

“Esta é a vontade do meu Pai:

quem vê o Filho e nele crê tenha a vida eterna.

E eu o ressuscitarei no último dia.”[13]



[1] Frase pronunciada, pouco tempo antes da morte, pelo monge trapista Irmão Luc (Lucas) do mosteiro Nossa Senhora de Atlas ou mosteiro de Tibhirine, em Atlas, na Argélia. Na noite entre 26 e 27 de março de 1996, um comando formado por cerca de vinte homens armados invadiu o mosteiro e sequestrou sete dos nove monges que formavam a comunidade, todos de nacionalidade francesa. O sequestro foi reivindicado, um mês após, pelo Grupo Islâmico Armado, que propôs à França uma troca de prisioneiros. Após negociações inúteis, em 21 de maio do mesmo ano, os terroristas anunciaram a morte dos monges, cujas cabeças foram encontradas no dia 30 de maio. Os corpos dos sete monges, porém, nunca foram encontrados.

[2] Romanos 6,4.

[3] 1 Pedro 1,3b.

[4] Romanos 6,6.

[5] Romanos 6,8.

[6] 2 Timóteo 2,11b-13.

[7] Romanos 6,6.

[8] Colossenses 3,1.

[9] Romanos 8,16-17.

[10] Romanos 8,17.

[11] 1 Coríntios 15,19.

[12] João 11,25.

[13] João 6,40.