Descoberto SELO, que prova a existência do Rei Josias. Gentileza: Frizo. Tradução: Cleodon

25 de abril de 2019

Selo trazendo o Nome do Oficial da Corte do Rei Josias,

Descoberto na Cidade de David

 

The Jewish Press, 24 Adar II 5779 – 31 de março de 2019.

JewishPress.com

 

Uma bulla (impressão de selo) e um selo de 2.600 anos, da época do Primeiro Templo e com nomes hebraicos, foram recentemente descobertos como parte das escavações arqueológicas do Estacionamento Givati (Givati Parking Lot), no Parque Nacional da Cidade de David, em Jerusalém. A escavação foi conduzida por arqueólogos da Autoridade de Antiguidades de Israel e da Universidade de Tel Aviv. Os artefatos serão apresentados no Jornal de Exploração de Israel (Israel Exploration Journal), publicado pela Sociedade de Exploração de Israel (Israel Exploration Society).

Bullae eram pequenos pedaços de argila impressos por selos pessoais, usados nos tempos antigos para assinar cartas. Enquanto o pergaminho que selaram não sobreviveu aos incêndios que devastaram a antiga Jerusalém, as bolhas, que são feitas de material semelhante à cerâmica, foram preservadas, deixando evidências da correspondência e dos que estavam por trás delas.

Selos particulares eram usados para assinar documentos e eram, frequentemente, colocados em anéis de assinatura levados pelos seus donos. Nos tempos antigos, esses selos imprimiam a identidade, a linhagem e o status de seus donos.

De acordo com o Prof. Yuval Gadot da Universidade de Tel Aviv e o Dr. Yiftah Shalev do IAA, responsáveis pela escavação, os extraordinários artefatos foram encontrados dentro de um grande edifício público que foi destruído no Séc. VI a.C. - provavelmente durante a destruição de Jerusalém pela Babilônia, em 586 aC.

Grandes destroços de pedra, vigas de madeira queimadas e numerosos cacos de cerâmica queimada foram descobertos no prédio, indicações de que haviam sobrevivido a um imenso fogo. A importância deste edifício pode ser notada, entre outras coisas, pelo seu tamanho, pelas pedras de cantaria finamente cortadas e revestidas das quais foi construído e pela qualidade dos elementos arquitetônicos encontrados nas camadas de destruição: por exemplo, restos de um piso de gesso elegante, que desmoronou e desabou no piso debaixo.

O selo e a bulla, com cerca de um centímetro de tamanho cada, foram decifrados pelo Drᵃ. Anat Mendel-Geberovich, da Universidade Hebraica de Jerusalém e Centro para o Estudo da Jerusalém Antiga. Com base no roteiro, ela os datou para meado do Séc. VII e o início do Séc. VI aC.

A impressão do selo, datada do período do Primeiro Templo, apresenta as palavras: "[pertencente a] Natã-Melech, Servo do Rei" (LeNathan-Melech Eved HaMelech). O nome Natã-Melech aparece uma vez na Bíblia, em 2RS 23,11, onde ele é descrito como um oficial na corte do rei Josias, que participou da Reforma Religiosa que o rei estava implementando: “E tirou os cavalos que os reis de Judá tinham dado ao sol, à entrada da casa do Senhor, junto à câmara de Natã-Melech, o oficial, que estava no recinto; e ele queimou as carruagens do sol com fogo”.

O título “Servo do Rei” (Eved HaMelech) aparece, frequentemente, na Bíblia, para descrever um oficial de alta patente próximo ao rei. Esse título aparece em outros selos e impressões de selo, que foram encontrados no passado. Esta impressão de selo é a primeira evidência arqueológica do nome bíblico Natã-Melech.

Drᵃ. Mendel-Geberovich observa que o fato desse funcionário ter sido mencionado pelo seu primeiro nome, só indica que ele era conhecido por todos, e não havia necessidade para acrescentar sua linhagem familiar.

De acordo com Mendel-Geberovich, “Embora não seja possível determinar com certeza absoluta que o Natã-Melech mencionado na Bíblia era de fato o dono do selo, é impossível ignorar alguns dos detalhes que os ligam.

Outro selo estampado, feito de pedra de ágata azulada e gravado com a frase "[pertencente a] Ikar filho de Matanyahu" (LeIkar Ben Matanyahu) foi descoberto no mesmo local. De acordo com o Drᵃ. Mendel-Geberovich, “o nome Matanyahu aparece tanto na Bíblia quanto em selos adicionais e bullae já desenterradas. No entanto, esta é a primeira referência ao nome "Ikar", que era desconhecido até hoje.

Ela acredita que, apesar do significado literal de Ikar ser “camponês”, muito provavelmente se refere a um indivíduo particular com esse nome, em oposição a uma descrição de sua ocupação. Ainda não está claro quem era essa pessoa.

Segundo Gadot e Shalev, “uma vez que muitas das conhecidas bullae e selos não vêm de escavações arqueológicas organizadas, mas de mercado de antiguidades, a descoberta desses dois artefatos em um contexto arqueológico claro, que pode ser datado, é muito emocionante. Eles se juntam às bullae e selos com nomes escritos em escritos de hebraico arcaico, descobertos nas diversas escavações realizadas na Cidade de David até hoje”.

“Esses artefatos atestam o sistema altamente desenvolvido de administração no Reino de Judá e acrescentam informações consideráveis à nossa compreensão do status econômico de Jerusalém e seu sistema administrativo durante o período do Primeiro Templo, bem como informações pessoais sobre os oficiais mais próximos do rei e administradores que viviam e trabalhavam na cidade”, dizem Gadot e Shalev.

Eles também sugerem que "a descoberta de um edifício público como este, na encosta oeste da Cidade de David, fornece muitas informações sobre a estrutura da cidade durante este período e o tamanho de sua área administrativa".

Doron Spielman, vice-presidente da Fundação Cidade de David, que trabalha no Parque Nacional da Cidade de David, acrescentou: “Esta é uma descoberta extremamente interessante para bilhões de pessoas em todo o mundo: o selo pessoal de Natã-Melech, um oficial sênior do governo de Josias, rei de Judá, conforme descrito no segundo livro de Reis. As escavações arqueológicas em andamento na cidade de Davi provam que a antiga Jerusalém não é apenas uma questão de fé, mas, também, uma questão de fato. É realmente fascinante ver como os arqueólogos descobriram mais de doze camadas da história de Jerusalém no que costumava ser um estacionamento até poucos anos atrás”.

 

Texto indicado por Dr. Antonio Carlos Frizzo.

Tradução do original inglês: Pe. Cleodon Amaral de Lima

Texto original, favor consultar: https://www.jewishpress.com/news/israel/jerusalem/seal-bearing-name-of-king-josiahs-court-official-uncovered-in-city-of-david/2019/03/31/